Conecte-se

FacebookTwitterInstagram

17.10.2019 Foto remédio 2

Duas pessoas – uma mulher e um homem – foram presas em flagrante na manhã desta quinta-feira (17), em Lages, suspeitas de comercializar medicamentos usados para emagrecimento proibidos por lei. As prisões aconteceram nos bairros Petrópolis e Ipiranga, durante cumprimento a dois mandados de busca e apreensão no Inquérito Policial que apura a morte de uma mulher de 27 anos, que teria feito uso deste tipo de medicamento. O caso aconteceu em abril deste ano.

Segundo o delegado Rochel Amaral da Silva, da Central de Plantão Policial (CPP), foram apreendidos 27 frascos de um remédio e similares usados para emagrecimento. O delegado explicou que a prisão em flagrante se deu por ausência de informações sobre a procedência do produto. “As embalagens sequer tinham rótulo”, afirma.

 A polícia investiga se essas duas pessoas seriam ou não responsáveis em fornecer o medicamento para a mulher que morreu após usar o remédio. O inquérito está com a 3ª DP. A ação teve a participação de 12 policiais.

Para Matérias sem foto

Uma ação da Polícia Civil prendeu em flagrante, na noite de terça-feira (15), um homem de 24 anos suspeito de extorsão no Centro de Campo Belo do Sul. 

Ele teria exigido R$ 10 mil a uma funcionária de uma agência bancária local. O suspeito fez o uso de uma barra de ferro para ameaçar a vítima, que deveria lhe entregar o dinheiro em 24h. Em seguida, se encontrou com outra mulher e a ameaçou de morte. As vítimas fizeram registro de ocorrência na delegacia.

Segundo o delegado Rafael Quagliato Bellinati, de imediato a Polícia Civil fez buscas e o suspeito foi encontrado ainda em posse da barra de ferro. Ele já teria respondido criminalmente por crime de dano recentemente e também por tentativa de feminicídio, há dois anos, quando tentou golpear a companheira com uma faca de cozinha nas costas. O homem foi preso em flagrante e encaminhado ao Presídio Regional de Lages.

Logo Fundo preto

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Lages, concluiu o inquérito policial que apurou os crimes de homicídio qualificado, roubo e porte ilegal de arma de fogo, ocorrido na noite do dia 24 de agosto de 2019, na boate Wooden House, identificando os dois autores dos crimes – um está preso e o outro foi morto no dia da invasão.

Segundo a investigação, naquela data, dois homens entraram armados na boate. O primeiro invadiu o local atirando em direção aos seguranças e clientes, enquanto o outro, após perceber a ação do comparsa, abordou quatro pessoas que estavam saindo de carro e executou o roubo do veículo do grupo. Em seguida, fugiu do local. Na sequência, um policial militar de folga, visando fazer cessar injusta e grave agressões contra si e contra terceiros, após verbalizar com o investigado e este não acatar a ordem de rendição, foi obrigado a efetuar disparo de arma de fogo contra o suspeito, que morreu no local.

WhatsApp Image 2019 10 09 at 19.19.49 1

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Lages e da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC), deflagrou na terça-feira (08) uma operação que resultou na apreensão de 16 quilos de maconha, na Capital.

A investigação apontou que o entorpecente sairia de Florianópolis com destino ao bairro São Sebastião, em Lages, onde o homem foi preso em flagrante enquanto aguardava a entrega.

Logo Fundo preto

A Polícia Civil de Campo Belo do Sul cumpriu na manhã desta quinta-feira (03) um mandado de prisão contra um homem condenado pela Justiça a pena privativa de liberdade por agredir um policial militar da reserva remunerada.

Segundo o delegado Raphael Bellinati, da DP de Campo Belo do Sul, a vítima, de 58 anos, foi agredida na cabeça com socos e chutes quando passeava com a família em um pesque-pague no interior de Campo Belo do Sul. A agressão aconteceu no dia 23 de março de 2018, quando foi instaurado inquérito policial para apurar os fatos. O autor de 31 anos foi identificado e preso. A condenação é por dois meses de detenção no regime semi-aberto.