Conecte-se

FacebookTwitterInstagram

WhatsApp Image 2020 02 21 at 12.32.03

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) deflagrou a Operação Japeri, que visa apurar e comprovar uma associação criminosa voltada à reiterada prática de crimes de extorsão contra moradores de Laguna e região Sul. Realizada na quinta-feira (20), a ação contou com o apoio da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) do Rio de Janeiro.

A investigação teve início em meados de dezembro, quando uma vítima efetuou o depósito de cerca de R$ 8 mil aos criminosos após terem simulado o sequestro de sua filha, ameaçando matá-la caso o valor não fosse depositado. As investigações apontaram o envolvimento de dois homens presos na Penitenciária Milton Dias Moreira, em Japeri (RJ), os quais tiveram a prisão preventiva decretada pelo Judiciário de Laguna.

Segundo o delegado Bruno P. Fernandes,as investigações seguem no intuito de recuperar os valores depositados pelas vítimas, uma vez que diversas outras pessoas pelo Brasil foram vítimas da mesma modalidade criminosa.

WhatsApp Image 2020 02 14 at 09.13.06

A Polícia Civil desencadeou nesta sexta-feira (14) a Operação "El Patron" e cumpriu mandado de prisão preventiva de um homem de 33 anos. Ele é considerado um dos principais fornecedores de cocaína e maconha do Oeste do Paraná para Santa Catarina. Foram apreendidos R$ 55 mil, carregadores, munições e dois veículos. A ação é da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Laguna. O alvo foi capturado em Francisco Beltrão (PR).

As investigações pela Polícia Civil catarinense se iniciaram após a apreensão de 370 quilos de maconha, no dia 19 de agosto de 2019, em Imbituba, após policiais civis da Comarca tomarem conhecimento do ingresso ilegal da mencionada carga na cidade. À época, policiais civis da 18ª Delegacia Regional de Polícia realizaram monitoramento ininterrupto por quase oito horas em um dos acessos da cidade, quando então flagraram o veículo alvo das denúncias, e, após regular abordagem, localizaram e apreenderam a carga da droga. Naquela ação policial, um casal foi preso em flagrante e depois condenado pela Justiça.

Na apuração sobre o fornecimento da carga, policiais da DIC descobriram que o material foi encaminhado por um dos maiores fornecedores de maconha e cocaína de Francisco Beltrão (PR). Ainda, que o investigado era responsável pela distribuição e fornecimento e entrega de elevadas quantidades de droga para todo o Brasil. Apuraram, também, que o fornecedor da carga apreendida se encontrava associado a outros quatro homens, que possuíam a específica função de preparar e enviar toneladas de droga para outros Estados. Todos estão presos.

A Operação "El Patron" faz alusão ao vasto poderio econômico do investigado, que, no decorrer de anos, aumentou exponencialmente seus bens, inclusive comprando veículos de luxo, lanchas, sítios e demais chácaras no oeste do Paraná por conta dos lucros obtidos com a prática criminosa.

“Com a prisão de hoje encerramos a investigação, que apurou e desmantelou uma célula organizacional voltada exclusivamente aos crimes aqui apurados. Gostaríamos de agradecer a participação dos policiais civis da DIC de Laguna, da DIC de São Lourenço do Oeste, da Delegacia de Polícia Civil de Francisco Beltrão (PCPR) e do DENARC (PCPR), pelo apoio fundamental”, afirma Bruno P. Fernandes, delegado da DIC Laguna e coordenador da operação.

WhatsApp Image 2020 02 14 at 09.13.45

WhatsApp Image 2020 02 14 at 07.47.38

 

8117c203 084d 4dc1 bc5b 63010c39fba5

A Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão preventiva contra um homem investigado por roubo e corrupção de menores, no bairro Campestre, em Imbituba. Ele também é investigado por violência doméstica. A ação é da Delegacia de Polícia de Imbituba e foi realizada na noite de terça-feira (11).

Segundo o delegado Juliano Baesso,  além da prisão preventiva, o Judiciário deferiu medidas protetivas em favor da companheira do homem determinando o afastamento dele da residência e a proibição de aproximação e de manter qualquer contato com ela. Isto porque, após o cometimento dos delitos citados, ele havia praticado ameaça no âmbito da violência doméstica. O homem havia sido preso em flagrante em julho de 2019 por roubo corrupção de menores. Naquela data, o Judiciário aplicou medidas cautelares, entre elas o monitoramento eletrônico, mas o autor descumpriu, inclusive rompendo a tornozeleira eletrônica.

WhatsApp Image 2020 02 08 at 18.59.46

Na madrugada de sábado (08), policiais civis da Divisão de Investigação Criminal (DIC) flagraram o momento em que um homem faria a distribuição de droga em pontos de tráfico, em Laguna.

Na abordagem, foi apreendido meio quilo de crack na posse do autor, autuado em flagrante. As diligências foram em meio à "Operação Flor de Lótus", que apura o fornecimento e distribuição de drogas em Laguna. “Agradecemos em especial ao Canil da Polícia Militar de Laguna (K9 - 28º BPM), que participou e auxiliou nas diligências realizadas”, destaca o delegado Bruno Fernandes.

WhatsApp Image 2020 01 16 at 10.57.04

Uma ação conjunta das forças de segurança do Brasil, incluindo a Polícia Civil de Santa Catarina, e a Polícia Nacional do Paraguai, resultou na prisão de um foragido da Justiça catarinense no Paraguai. O homem capturado é apontado como autor de um homicídio e uma tentativa de homicídio em Imaruí, no Sul do Estado, em março de 2019.

A prisão envolveu o Centro Integrado de Operações de Fronteira da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (CIOF/SEOPI/MJSP), além da Polícia Civil de Santa Catarina, da Polícia Civil do Paraná, do GAECO/MPSC e da Polícia Nacional do Paraguai. Conforme a investigação, o homem estava escondido no Paraguai havia nove meses.

O CIOF/SEOPI/MJSP com sede em Foz do Iguaçu (PR) recebeu informações da Polícia Civil de Santa Catarina por meio da Delegacia de Imaruí e do GAECO de São Miguel do Oeste (SC), de que o autor de homicídio e homicídio tentado estava em  Ciudad del Este, no Paraguai - os policiais catarinenses passaram a localização exata da casa em que ele estava.  Logo após, o CIOF/SEOPI/MJSP passou a tratar as informações, sendo acionada a Polícia Nacional do Paraguai, através do Departamento de Investigação de Alto Paraná.

Durante dez dias houve intensa troca de informações entre as polícias visando a localizado do foragido. Em razão da integração, no final da tarde de quarta-feira (15), o homem foi localizado e preso em uma casa em Ciudad del Este por equipes do Departamento de Investigação de Alto Paraná da Polícia Nacional.

Depois do procedimento de expulsão realizada pelo Paraguai, o homem foi entregue na Ponte Internacional da Amizade às equipes do CIOF, Força Nacional e Polícia Civil do Paraná. Na ocasião foi formalizado o ingresso do brasileiro foragido junto ao setor de migração da Polícia Federal na PIA. Em seguida, as equipes do CIOF, FN e PCPR, formalizaram a entrega do preso na 6ª SDP para procedimentos legais.

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Imaruí, deu início às tratativas para transferência do preso para o território catarinense. De acordo com as apurações, poucos dias após os crimes praticados em Imaruí, o autor dos disparos deslocou-se para o Paraguai, tendo alugado uma casa de dois pisos no Km 4. Desde então (aproximadamente 9 meses), o investigado locava quartos para dezenas de brasileiros oriundos de diferentes Estados e que cursam a faculdade de medicina no país vizinho.

O crime em Imaruí

No dia 20 de março do ano de 2019 ocorreram os crimes de homicídio consumado e tentativa de homicídio duplamente qualificados (motivo torpe e recurso que dificultou a defesa das vítimas) em Imaruí, motivados por um desacordo numa negociata de compra e venda de um terreno.

Logo após a realização de diligências, descobriu-se que dois homens praticaram os crimes, os quais tiveram as prisões preventivas decretadas pelo Judiciário após representação da Polícia Civil de Imaruí.

Integração

Segundo o delegado regional de Laguna, Raphael Giordani, a integração entre as diversas instituições de segurança foi fundamental para a prisão do foragido. Giordani destaca também a atuação do delegado da PC catarinense no caso, Adriano Bini, atualmente integrante do Centro Integrado de Operações de Fronteira, em Foz do Iguaçu.

WhatsApp Image 2020 01 16 at 10.57.48