Conecte-se

FacebookTwitterInstagram

Maravilha - A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio do SAER (Serviço Aeropolicial) realizou na tarde desta segunda-feira (24/06) um levantamento fotográfico do município de Maravilha. O objetivo foi mapear estradas e rotas utilizadas no transporte de mercadorias ilícitas na região. Os materiais coletados foram adicionados ao banco de dados da Polícia Civil, que ficará à disposição da Delegacia do Município para operações futuras.

saer 24.06

coletiva 18.06

Dionísio Cerqueira - A Delegacia de Polícia de Fronteira de Dionísio Cerqueira anunciou em coletiva de imprensa nesta terça-feira (18) o indiciamento de C.L.C. pelo assassinato de sua ex-companheira, ocorrido no dia 17 de março. A investigação apurou que, após assassinar a vítima, o homem fugiu em direção a São Paulo, abandonando seu carro em um posto de gasolina no município de Marmeleiro, no Paraná, e seguindo o trajeto de carona.

Com o apoio da Delegacia Antissequestro de São Paulo, foi possível recuperar o aparelho celular do investigado e contatar testemunhas que confirmam a versão de que o homem passou por municípios de SP enquanto fugia da polícia catarinense.

Foram colhidas provas de que o foragido foi realmente o autor do feminicídio, sendo emitido um mandado de prisão temporária pelo Poder Judiciário. O homem foi visto pela última vez nas proximidades da sede da CEAGESP (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo), na capital paulista.

As investigações continuam para encontrar o foragido. Qualquer informação de sua localização pode ser enviada à Polícia Civil por meio do disque denúncia 181 ou do WhatsApp (48) 98844-0011.

Mondaí - A Delegacia da Comarca de Mondaí prendeu preventivamente na tarde desta terça-feira (18) S.A.P., de 27 anos, investigado por vender drogas no município. O homem foi preso em sua residência no bairro Capivara.

O mandado de prisão preventiva expedido foi um desdobramento da Operação Ágata, realizada no dia 23 de maio, quando duas pessoas foram presas em flagrante por tráfico de drogas. Após a ação, a Polícia Civil identificou S.A.P. como participante no esquema de venda de entorpecentes na região. O homem  foi encaminhado ao Presídio Regional de São Miguel do Oeste, onde ficará à disposição da Justiça.

São Miguel do Oeste - Policiais civis da DPCAMI/FRON de São Miguel do Oeste foram acionados pela Polícia Civil gaúcha por meio da Delegacia de Polícia de Nova Santa Rita (RS), na sexta-feira (14/06), informando que uma mulher da região metropolitana de Porto Alegre, que teria vindo a São Miguel do Oeste, estaria sendo impedida de deixar a cidade pela proprietária de uma casa noturna.

A equipe da DPCAMI, com apoio da DIC, DPCO e Setor de Jogos, Diversões e Produtos Controlados/DRP, após diligências preliminares, identificou o estabelecimento e, chegando ao local, localizou a vítima, machucada, assustada e pedindo auxílio para deixar o local.

De acordo com as investigações, a proprietária da casa estaria ameaçando a vítima para que entregasse determinada quantia em dinheiro para que pudesse retornar para a sua resid}encia, no Rio Grande do Sul. A investigada, em 2018,  já havia sido presa pelo mesmo crime em São Miguel do Oeste.

Operação Hodos 2

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia da Comarca de São Miguel do Oeste e com apoio de policiais civis de diversas Delegacias na área da 13ª Delegacia Regional de Polícia de Fronteira – DRP/FRON, deu cumprimento a 10  mandados de busca e apreensão nas cidades de São Miguel do Oeste e Belmonte, com a finalidade de apurar a adulteração de hodômetros de veículos.

Foram apreendidos diversos aparelhos eletrônicos utilizados para realizar a redução da quilometragem nos hodômetros dos veículos, celulares e computadores. Um total de 26 veículos com suspeita de fraude foram apreendidos e serão submetidos à perícia.

As investigações

As investigações começaram depois que a Ciretran da 13ª DRP/FRON DE São Miguel do Oeste recebeu informações que empresários do ramo de comercialização de veículos estavam adulterando o hodômetro dos automóveis, com a utilização de um instrumento tecnológico, reduzindo a quilometragem registrada. Com esse método a venda do veículo era facilitada, obtendo-se vantagem econômica e colocando em risco a vida do comprador, tendo em vista que a manutenção periódica muitas vezes é condicionada à quantidade de quilômetros rodados.

Na continuidade a Polícia Civil organizou a análise documental de algumas transferências de veículos, oportunidade em que a redução da quilometragem ficou comprovada. Em um dos casos alvo de investigação apurou-se que a verdadeira quilometragem do veículo passava dos 140 mil quilômetros, sendo que o hodômetro registrava apenas 70 mil quilômetros.

A partir destas denúncias Delegacia de Polícia da Comarca de São Miguel do Oeste instaurou inquérito policial e representou ao juízo da Comarca pela ordem de busca e apreensão em 10 locais, entre empresas e residências, o qual foi deferido após manifestação favorável do Ministério Público.

Além dos 26 veículos apreendidos, a Polícia Civil conduziu três pessoas à Delegacia de Polícia para prestar esclarecimentos e uma foi presa em flagrante pela posse irregular de uma arma de fogo e munições. As investigações prosseguem com o intuito de identificar outros envolvidos e empresas que cometem essa prática fraudulenta na região.

Operação Hodos 3

 

 

Detran participou da Operação Hodos

Os consumidores e clientes que eventualmente tenham adquiridos veículos com a quilometragem adulterada, após identificados, serão intimados para prestar depoimento, uma vez que além dessa prática representa crime contra as relações de consumo e estelionato, enseja possível dano moral.

A operação contou também com a participação do Detran/SC. Vale ressaltar que, com o objetivo de combater a adulteração da quilometragem, o órgão de trânsito implantou, no dia 10 de maio de 2019, o sistema de validação da quilometragem nos laudos emitidos pelas Empresas Credenciadas de Vistorias (ECVs) em todo o Estado (PORTARIA 139/ASJUR/DETRAN/2019).

Caso as Empresas Credenciadas de Vistorias (ECVs) constatem indícios de adulteração, o sistema emite um alerta e bloqueia a vistoria, impedindo que o laudo seja cadastrado. Automaticamente a informação é enviada ao Detran/SC, estabelecendo restrição administrativa no prontuário/dossiê do veículo, impedindo a transferência do automóvel.

Na sequência, a ECV deverá formalizar comunicação imediata ao Delegado de Polícia da respectiva área de circunscrição para conhecimento e adoção de providências de polícia judiciária cabíveis, podendo o adulterador responder por crimes de estelionato ou crime contra as relações de consumo, com penas de até 5 anos, devendo ainda a ECV orientar o responsável pelo veículo a procurar o órgão de trânsito local para as medidas administrativas.

A operação foi deflagrada na útima sexta-feira, 7, e batizada de “Hodos” tendo em vista que a palavra hodômetro é de origem grega, decorrente da junção das expressões “hodo + metro”, sendo que “hodo” significa caminho, via, estrada.

“Colabore com a Polícia, denuncie! Informe através do telefone (49) 3622 4213 (WhatsApp) ou no disque-denúncia 181”.