Conecte-se

FacebookTwitterInstagram

Para Matérias sem foto

A Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) manteve a condenação dos indiciados na 1ª fase da Operação Falsário, deflagrada em 2017 pela Polícia Civil (DIC/FRON) para investigar um grupo que vendia documentos falsos na região de São Miguel do Oeste. Nesta quarta-feira (11),  no mesmo caso, a Polícia Civil deu cumprimento a dois mandados de prisão expedidos contra uma mulher condenada a mais de 25 anos de prisão.

Além da mulher presa nesta quarta-feira, outras dez pessoas foram presas ao longo da Operação. Segundo a investigação, os pedidos de documentos eram centralizados pela mulher em São Miguel do Oeste e as falsificações feitas no Paraná. Os criminosos cobravam R$ 100 por cada cheque falsificado, R$ 3 mil por carteiras de habilitação e cerca de R$ 250 por documentos de licenciamento de veículos. Em 2017, a Vara Criminal de São Miguel do Oeste já havia condenado nove pessoas por associação criminosa, falsificação de documentos, receptação e corrupção ativa.