Conecte-se

FacebookTwitterInstagram

 WhatsApp Image 2020 06 26 at 12.43.17

A Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DRE/DEIC) desencadeou nesta sexta-feira (26) a Operação Boca da Serra. Estão sendo cumpridas 10 ordens judiciais, sendo seis mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisões. Os trabalhos são coordenados pelo delegado Cláudio Monteiro.

Até pela manhã duas prisões foram cumpridas e dois investigados estão foragidos. As bucas e as prisões foram na Grande Florianópolis. O caso envolve uma apreensão de 150 quilos de maconha em março de 2019 (fotos abaixo). A equipe da DRE, na época, monitorou uma carga de droga que estava vindo de Foz do Iguacu (PR), fez a abordagem em Rancho Queimado, os autores fugiram e se embrenharam no mato e não foram localizados.

WhatsApp Image 2020 06 26 at 10.56.22

WhatsApp Image 2020 06 26 at 10.56.22 1

 WhatsApp Image 2020 06 26 at 10.56.36

Policiais civis da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DRACO/DEIC) apreenderam R$ 1.199.000,00 de organização criminosa com atuação em Santa Catarina dedicada ao tráfico de drogas. Foi na manhã desta sexta-feira (26) em continuidade às diligências da Operação Network.  

Após a apreensão as equipes se dirigiram a sede da DEIC para a contagem e apreensão do dinheiro. Segundo o delegado Antônio Cláudio Joca, ainda na tarde de quinta-feira (25), foi protocolada nova representação pelo Delegado de Polícia da DRACO/DEIC solicitando a expedição de novo mandado de busca e apreensão em endereço localizado em São José.

Diante da imprescindibilidade da medida, de forma ágil e com parecer favorável da 39ª Promotoria de Justiça da Capital, foi expedido novo mandado de busca e apreensão pela Vara Criminal da Região Metropolitana de Florianópolis.

Assim, nesta sexta-feira, por volta das 6h30min, equipes da DRACO/DEIC foram a campo para o cumprimento dos mandados de busca e apreensão ainda pendentes de cumprimento, bem como do novo mandado de busca expedido na tarde de quinta. Em um apartamento localizado na cidade de São José foi apreendida grande quantidade de dinheiro pertencente a organização criminosa voltada ao tráfico de drogas. Policiais civis da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (CORE) apoiaram nas diligências.

WhatsApp Image 2020 06 26 at 10.56.36 1

 WhatsApp Image 2020 06 25 at 21.30.56

Seis pessoas foram presas em uma operação da Delegacia de Polícia da Comarca de Turvo, na quinta-feira (25), com a finalidade de desarticular uma associação criminosa voltada para o tráfico de drogas. 

Há alguns dias, os agentes investigavam um grupo de jovens que teria montado um ponto de tráfico no bairro Cidade Alta, em Turvo, com a finalidade de vender maconha, cocaína, crack, LSD e ecstasy. Depois de alguns dias de levantamento, foi possível constatar uma intensa movimentação de usuários no local, e identificar seis homens revezando na residência para o comercio de entorpecentes.

Diante destas informações, por volta das 18h, foi organizada uma operação com a finalidade de flagrar o comércio dos entorpecentes. Sob a coordenação do delegado Lucas Fernandes da Rosa, os policiais civis visualizaram usuários saindo da “boca de fumo”, sendo um deles abordado e encontrado em seu poder três porções de crack. Diante do estado flagrancial, foi realizada a abordagem do imóvel, sendo encontrado em um dos cômodos da casa cocaína embalada para venda.

Durante os procedimentos, chegaram no local mais dois investigados que trouxeram mais drogas para abastecer o ponto e foram abordados, sendo localizado com eles cocaína, maconha, LSD e ecstasy, e mais instrumentos para preparar o entorpecente como balança e papel filme. No total foram presos seis homens com idades entre 19 anos e 55 anos. Um dos autuados estava utilizando tornozeleira eletrônica.

Foram apreendidos 500 gramas de maconha; 19,8 gramas de crack, 55,7 de cocaína; 23 comprimidos de ecstasy; 20 micropontos de LSD; e R$ 313. Os investigados foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação, sendo encaminhados ao Presídio Regional de Araranguá.

WhatsApp Image 2020 06 25 at 21.31.04

WhatsApp Image 2020 06 25 at 16.31.08

A Polícia Civil, através da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI) de Florianópolis, cumpriu na manhã desta quinta-feira (25) um mandado de prisão preventiva contra um homem suspeito de manter em sua residência material envolvendo pornografia com adolescentes.

Segundo o delegado Flávio Lima, além do material digital foram apreendidas drogas na casa do investigado. A ordem judicial foi cumprida durante investigação sobre um caso conhecido como Exposedfloripa. Trata-se de um movimento formado por jovens mulheres nas redes sociais, que denunciavam relacionamentos abusivos. A denúncia também revelava que um homem produzia vídeos mantendo relações sexuais com adolescentes, além de armazená-los para a comercialização dos vídeos.

A DPCAMI de Florianópolis prendeu em flagrante delito outros dois homens pela prática do crime de tráfico de drogas. Foram apreendidas quantidades de drogas conhecidas como “maconha”, “skank”, “haxixe” “MDMA” (droga sintética) e “Kief”.

Segundo o delegado Gustavo Kremer, titular da DPCAMI, “todas as informações recebidas pela Polícia Civil são apuradas com muito cuidado e muitas delas resultam em operações exitosas como a realizada nesta quinta-feira”. Ele acrescenta, ainda,  a importância do cidadão procurar a Polícia Civil e denunciar os fatos criminosos que porventura tenha conhecimento. Para tanto, o delegado recomenda o telefone 181 (disque denúncia), o WhatsApp (48) 98844-0011 ou que procure a delegacia mais próxima. “A Polícia Civil não deixará de prestar o serviço qualificado de investigação policial. Conte conosco!”, finalizou o policial.

WhatsApp Image 2020 06 25 at 16.31.07

WhatsApp Image 2020 06 25 at 16.31.07 1

 WhatsApp Image 2020 06 25 at 14.22.12 2

Mais de 50 presos, apreensão de drogas, de R$ 60 mil, de anotação do tráfico e de celulares em um golpe contra a organização criminosa envolvida em tráfico de entorpecentes e comércio ilegal de armas de fogo. Este é o balanço da Operação “Network” da Polícia Civil de Santa Catarina até a tarde desta quinta-feira (25). A ação busca cumprir 150 mandados expedidos pela Justiça, sendo 83 mandados de prisão temporária e 67 mandados de busca e apreensão. A investigação dura 12 meses pela Delegacia de Repressão ao Crime Organizado da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DRACO/DEIC).

A operação foi desencadeada ainda de madrugada em 10 cidades catarinenses (Florianópolis, São José, Biguaçu, Palhoça, Governador Celso Ramos, Canelinha, Criciúma, Itapema, Taió, Pouso Redondo) e em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul. Foram mobilizados 330 policiais civis de Santa Catarina e no RS houve apoio da Polícia Civil gaúcha.

 “Esta investigação começou em 2019 sobre um indivíduo que possui uma rede de contatos, cerca de 83 pessoas no entorno dele. Por isso a operação foi batizada de Network”, pontuou o delegado responsável pelas investigações, Antônio Cláudio Joca, da DRACO/DEIC.

Segundo o delegado, o investigado responsável pelo comércio ilegal de arma de fogo articulava com alvos nas ruas, da Grande Florianópolis, onde negociavam armas de grosso calibre, fuzil, pistolas e grande quantidade de drogas”, afirmou o delegado, destacando o sucesso da operação aos “dedicados policiais civis da DRACO e de todo o Estado de SC que participaram”. Foram presas 52 pessoas e houve apreensão de maconha e cocaína.

Foto de armas gerou investigação

A investigação começou a partir de uma foto de armamento que a Polícia Civil recebeu em grupos de rede social, onde integrante de organização criminosa estava negociando as armas.

Para o diretor da DEIC, delegado Luis Felipe Fuentes, esta é mais uma operação de grande vulto da Polícia Civil que visa manter a pressão sobre essa facção criminosa.

“É importante que as unidades policiais continuem o que estão fazendo em todo o Estado e esta dedicação na investigação complexa e bastante complicada, tendo em vista ainda a pandemia. Mas conseguimos um esforço conjunto de várias unidades e outras delegacias que nos prestaram apoio para trazer à Justiça o máximo de pessoas envolvidas com essa organização criminosa", assinalou o diretor.

WhatsApp Image 2020 06 25 at 14.22.12 1

WhatsApp Image 2020 06 25 at 14.22.12

WhatsApp Image 2020 06 25 at 14.20.14