Conecte-se

FacebookTwitterInstagram

apiunabanco

Nesta quarta-feira (20), por volta das 14h, a Polícia Civil da Comarca de Ascurra cumpriu um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça contra um homem por roubo majorado, tentativa de homicídio qualificado e organização criminosa, todos contra um banco, em Apiúna, no dia 17 de dezembro de 2019.

A prisão ocorreu no Centro de Lontras após cinco meses de diligências, considerando que ele estava foragido desde a operação "SAQUE-RECUSADO", em janeiro. O homem foi denunciado pelo Ministério Público da Comarca de Ascurra com base nas investigações realizadas pela Polícia Civil e era o único que ainda não havia sido preso. Sua participação foi fundamental na execução do roubo ao banco, considerando que o conduzido foi o responsável pela fuga dos demais criminosos após o abandono do veículo Honda Civic utilizado no crime.

Com a prisão, resta o seguinte balanço: oito assaltantes presos e um suspeito morto em confronto com a PM no dia dos fatos. A Polícia Civil comunica ainda que o crime contra o banco em Apiúna está definitivamente solucionado, com a identificação e a prisão de todos os assaltantes que participaram.

condeladopalhocas

No início da tarde desta quarta-feira (20), a Polícia Civil, através da Divisão De Investigação Criminal (DIC), cumpriu um mandado de prisão por sentença condenatória contra um homem, em Palhoça.

A diligência foi no bairro Barra do Aririu. O preso possui vasta ficha criminal para crimes praticados no Estado do Rio Grande do Sul, entre eles roubos e furtos em estabelecimentos bancários naquele Estado.

Segundo a delegada Raquel Freire, o homem possui condenação de 42 anos de reclusão por ter sido julgado em seis crimes contra o patrimônio em que foi condenado pela Justiça gaúcha. Atualmente, se encontrava evadido do regime penal fechado onde cumpria pena na cadeia de Monte Negro (RS) – ele permanecia foragido há cerca de um ano e meio, em Palhoça. O preso aguarda vaga no sistema prisional catarinense.

taioa

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Taió, em conjunto com a Polícia Militar, efetuou a prisão de dois homens por receptação. A ação foi na tarde desta quarta-feira (20), em Taió.

De acordo com o delegado Jackson Guasselli Pessoa, as investigações apuraram que os homens teriam receptado motores elétricos avaliados em cerca de R$ 20 mil furtados de uma empresa de Salete. A finalidade era a retirada do cobre para posterior comercialização. Os presos foram conduzidos à Delegacia de Polícia Civil de Taió e o procedimento encaminhado ao Judiciário.

bombinhasprisao

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Polícia de Bombinhas, cumpriu na manhã desta quarta-feira (20) mandados de busca e apreensão e de prisão em uma residência no bairro Zé Amândio, em Bombinhas.

O suspeito é investigado por furto de um veículo no último final de semana, em Bombinhas e, após os fatos, ainda ameaçou a vítima. Na casa dele, que também é investigado por tráfico de drogas e possui vários registros dessa natureza, foram encontrados maconha, cocaína, dinheiro, luneta de arma de fogo, além de possíveis objetos de origem ilícita, especialmente relógios.

Caso alguma vítima reconheça alguns dos objetos furtados, procure a Delegacia de Polícia de Bombinhas. O preso, após os procedimentos, foi encaminhado ao Presídio de Tijucas, onde permanecerá à disposição da Justiça. A operação contou com apoio da DPCo de Porto Belo e Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Brusque.

papanduvapedrada

Policiais civis da Divisão de Investigação Criminal de Mafra, em conjunto com a Delegacia de Papanduva, concluíram nesta quarta- feira (20) um inquérito policial sobre uma tentativa de homicídio contra um homem de 26 anos.

O crime aconteceu em 22 de janeiro, em Papanduva. A vítima havia saído de um bar, quando foi brutalmente agredida por quatro pessoas, atingida com pedradas e pauladas que causaram graves lesões. Além de dois adultos, foi constatada a participação de dois adolescentes. Os autores responderão por crime de homicídio qualificado, na modalidade tentada, quando o crime não se consuma por circunstâncias alheias à vontade dos agentes, e também por corrupção de menores.

De acordo com o delegado Marcelo Schiebelbein, houve dificuldade inicial em se qualificar a vítima, que morava há poucos dias na cidade e se identificava falsamente. Depois, policiais descobriram que havia mandado de prisão ativo contra ela, razão pela qual, após receber alta médica, foi encaminhada ao Presídio Regional de Mafra.