Conecte-se

FacebookTwitterInstagram

WhatsApp Image 2019 09 12 at 18.00.08

A Polícia Civil assinou um convênio com a Prefeitura de Tubarão na tarde desta quinta-feira (12) que autoriza o repasse pelo município de R$ 5 mil mensais à instituição policial. Os recursos serão para a manutenção dos serviços de polícia judiciária e de apuração de infrações penais, no município.

O evento aconteceu no Complexo de Segurança Pública e contou com a presença do Delegado Geral da Polícia Civil, Paulo Koerich; do prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli; do secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Lucas Esmeraldino, além de convidados e representantes locais.

A delegada regional de Tubarão, Vivian Garcia Selig, explicou como funcionará o convênio: “Nós iremos basicamente instrumentalizar as equipes de investigação que apuram, por exemplo, os roubos, homicídios, furtos e estelionatos que acometem o nosso município”, ressalta. “Cuidar da segurança também é obrigação de todos nós e não só do Estado conforme determina a Constituição”, ressaltou o prefeito.

WhatsApp Image 2019 09 12 at 17.56.54

O Delegado Geral, Paulo Koerich, afirma que a concretização do convênio demonstra a integração entre o governo do Estado e o município e possibilita uma melhoria na condição de investimento e prestação do serviço policial na cidade. “Teremos condição de manter índices que nós já alcançamos, fazendo com que Tubarão seja um dos municípios mais seguros do Estado de Santa Catarina e também do Brasil”, destaca. Além da assinatura do convênio, o Delegado Geral realizou uma reunião de trabalho com os policiais civis.

WhatsApp Image 2019 09 12 at 17.56.53

Para Matérias sem foto

A Polícia Civil, por intermédio da delegacia do Município de Pescaria Brava, com o Setor de Jogos e Diversões Públicos da 18ª Delegacia Regional de Laguna, realizou na tarde de quarta-feira (11), uma operação em que fiscalizou 12 estabelecimentos comerciais.

Foram notificados três estabelecimentos, nos bairros Mato Alto, Loteamento Juliana e Mar Grosso. Houve a interdição de um estabelecimento no centro de Pescaria Brava, o qual não tinha nenhum tipo de alvará e dono já havia sido orientado para regularização.

 

WhatsApp Image 2019 09 12 at 14.24.32 1

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Grão Pará e com apoio da Polícia Militar, apreendeu na manhã de quarta-feira (11) toras de peroba e canela extraídos ilegalmente de mata nativa entre o Costão da Serra Furada e Invernada, em Grão Pará. As árvores podem ter cerca de 100 anos.

Além das toras de madeira, foi apreendido um caminhão e uma motosserra. Três homens, de 30 anos, 37 anos e 58 anos, foram conduzidos para a Delegacia de Grão-Pará e vão responder inquérito policial por crime ambiental - Art. 38-A (destruição de mata nativa). No inquérito será apurado o grau de responsabilidade deles, visto que além da extração ilegal das toras foi aberta uma clareira causando um dano ambiental secundário.

WhatsApp Image 2019 09 12 at 14.24.32

Logo Fundo preto

A Polícia Civil, através da Divisão de Investigação Criminal (DIC), prendeu na tarde de quarta-feira (11) um jovem de 19 anos, suspeito de integrar organização criminosa e de crimes contra o patrimônio na Grande Florianópolis.

A prisão aconteceu na comunidade Frei Damião, em Palhoça. Havia contra ele um mandado de prisão preventiva por tráfico de drogas originário de apreensão de drogas. O investigado foi encaminhado para a sede da DIC de Palhoça e em seguida para a carceragem provisória da Delegacia de Palhoça.

12.09.2019 DHCAP Norte da Ilha

Policiais civis da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital cumpriram, na manhã desta quinta-feira (12), dois mandados judiciais na comunidade Papaquara, no Norte da Ilha, em Florianópolis: um de prisão e outro de busca e apreensão.

 O mandado de prisão refere-se às investigações de um homicídio ocorrido em 2018 naquela comunidade. O outro mandado, de busca e apreensão domiciliar, refere-se às investigações sobre o homicídio e ocultação de cadáver ocorrido também na Papaquara, em 2019 – o corpo foi encontrado há dez dias durante uma operação da DH no Norte da Ilha. Segundo o delegado Ênio de Oliveira Matos, a operação foi positiva e contribuiu para esclarecer o crime e chegar aos autores.