Conecte-se

FacebookTwitterInstagram

WhatsApp Image 2019 06 12 at 12.10.17

A Polícia Civil realiza nesta segunda-feira a Operação Hooligan para cumprimento de mandados de busca e apreensão contra atos de violência e vandalismo de torcidas organizadas, em Florianópolis.

A ação é da 2ª e 3ª DP com o apoio da Polícia Militar. Será concedida uma entrevista coletiva a partir das 11h, no complexo do Continente, na Rua Tijucas, 92, bairro Estreito, onde serão dados mais detalhes sobre o trabalho policial.

Para Matérias sem foto

A Divisão de Repressão a Roubos da Polícia Civil (DRR/DIC) e a DPCAMI de Criciúma realizaram o cumprimento de buscas em quatro casas no bairro Cristo Redentor, em Criciúma. As investigações já estavam em andamento. O objetivo é combater o roubo de veículos e o tráfico de drogas.

Um adolescente investigado, de 17 anos, foi localizado em uma das residências. Com ele foram encontrados  munição e dinheiro. Ainda foram aprendidos outros elementos de prova. O adolescente foi ouvido na Delegacia, acompanhado da mãe, e liberado. Vinte policiais civis e oito viaturas participaram da operação.

1º.11.2019 Carga de cigarros em Criciúma

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Repressão a Entorpecentes da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma, apreendeu uma carga de cigarros contrabandeados do Paraguai dentro de uma camionete Van e de um galpão na localidade de Campo Mãe Luzia, em Araranguá. No total foram apreendidos 650 caixas de várias marcas. O cigarro seria comercializado na região Sul.

A operação começou na abordagem um caminhão bitrem, com placas de Tenente Portela/RS, na estrada geral do Pontão, em Criciúma.

1º.11.2019 Carga de cigarros em Criciúma 2

Na continuidade os policiais seguiram para Araranguá e encontraram a carga de cigarros. Quatro pessoas foram detidas e apreendidos um caminhão, uma van e uma camioneta FIAT/Fiorino. O dono de todo o esquema criminoso foi identificado e possui antecedentes criminais por crime de contrabando. Ele foi reconhecido pelos agricultores como sendo a pessoa que os contratou para guardar o cigarro, pagando R$ 1.500,00 para cada.

O esquema já vinha sendo investigado pela DRE/DIC Criciúma havia alguns meses. Todos os envolvidos, além do contrabando e os veículos apreendidos, foram encaminhados para a sede da Polícia Federal em Criciúma. 

 

Logo Fundo preto

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Blumenau e com o apoio da agência de inteligência da PM, prendeu na tarde desta quinta-feira um homem de 33 anos suspeito de explodir o caixa eletrônico de uma agência da Viacredi, localizada na Rua Dr. Pedro Zimmermann, Bairro Itoupava Central, em Blumenau.

A explosão aconteceu no dia 5 de outubro, por volta das 21h30min quando o suspeito entrou na agência e, utilizando-se do explosivo, danificou o caixa eletrônico com o objetivo de roubar o dinheiro. Mesmo após danificar grande parte da agência, o homem não conseguiu levar o dinheiro, uma vez que a quantidade de explosivos utilizada não foi capaz de abrir o compartimento destinado às cédulas.

A Polícia Civil começou a investigar o caso e com a troca de informação entre as forças de segurança foi possível identificar o autor. O investigado foi encontrado por agentes da DIC e da agência de inteligência da PM caminhando pela Rua Pérola do Vale, no bairro Itoupava Central. Em sua casa foram encontradas as roupas utilizadas no dia do crime. O homem foi levado até a sede da DIC e na sequência transferido para o Presídio Regional de Blumenau.

 

 

 

Logo Fundo preto

A Polícia Civil, por meio do Setor de Investigação e Capturas - SIC da Delegacia de Polícia da Comarca de Palhoça, após três meses de investigação, identificou o paradeiro de dois investigados e foragidos da justiça, que estariam escondidos em Porto Alegre/RS. Trata-se de um casal de ciganos procurados pela prática de diversos crimes em toda a Região Sul do país.

 Os dois foram presos no bairro Moinhos de Vento, na manhã desta sexta-feira (1º), numa ação da polícia do Rio Grande do Sul. O homem possuía um mandado de prisão decorrente de sentença penal condenatória definitiva, pela prática do crime de homicídio, ordem de prisão expedida pelo Poder Judiciário de Pelotas/RS.

 A companheira possuía quatro mandados de prisão preventiva expedidos por diversas Comarcas de Santa Catarina, em virtude da prática de crimes patrimoniais. Os presos foram encaminhados ao DEIC/RS, para a realização das formalidades legais, de onde seguirão ao sistema penitenciário.