Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

be41f419 af92 4466 b08c ef1249a00fc4

A Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Araranguá, prendeu um homem por tráfico de drogas e posse de arma de fogo, no bairro Lagoão, em Araranguá.

Os policiais civis apreenderam porções de maconha e crack, um revólver calibre .38 e diversas munições. Houve denúncias de que ele estaria escondendo drogas e armas de fogo em uma casa.

 Após investigação foram encontradas, dentro de uma mochila, a arma de fogo e munições, além de aproximadamente 800 gramas de maconha e 30 gramas de crack. Também foram encontrados apetrechos usados para o tráfico de drogas como balança de precisão e material para embalagem.

b8a2777d 967c 448b b6ac 326a6534fe63

Na manhã desta quarta-feira (01), a Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI) da Polícia Civil em Araranguá recebeu a visita de um grupo do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Araranguá. Entre os visitantes estavam crianças e adolescentes, assistente social, orientadoras sociais, professor de música e estagiário de psicologia.

Na visita, eles conheceram as instalações da DPCAMI/PCSC e os policiais civis da delegacia. Foram abordados no encontro o trabalho da polícia, o serviço de proteção e foi feita a entrega do distintivo de Delegado(a) Mirim cedido pela Adepol. Ao final houve um lanche.

A recepção também serviu para marcar o aniversário de 33 anos da DPCAMI/PCSC de Araranguá, uma das unidades mais antigas em funcionamento no Estado.

8279724e 6ea8 4709 b502 385c9ca69bb7

 WhatsApp Image 2022 05 26 at 08.42.29

Na tarde de quarta-feira (25), a Polícia Civil realizou uma diligência para apurar uma denúncia de maus tratos contra animais, em Turvo.

Os policiais civis se dirigiram até um loteamento no município e encontraram uma cachorra, aparentemente da raça pitbull, com três filhotes. A cachorra estava muito magra com ferimentos pelo corpo e sem alimentação, além de estar amarrada por uma corrente.

A ação de resgate contou com o apoio de voluntários da associação SOS4patas de Turvo, que providenciaram veterinário e lar provisório a cachorra e filhotes. O suspeito do crime de maus-tratos não estava no local. Um procedimento policial será instaurado para apurar a responsabilidade criminal do suspeito.

 WhatsApp Image 2022 05 21 at 16.55.36

Uma ação conjunta entre as Polícias Civil e Militar deflagrada na tarde deste sábado (22) cumpriu mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva contra um homem suspeito de crimes de violência doméstica em Araranguá, no Extremo Sul de Santa Catarina.

A ação se trata de uma investigação contra o homem, que responde a três inquéritos policiais. Há duas vítimas de crimes praticados com as mesmas características, que são reiteradas lesões corporais, ameaças, ameaça psicológica, injúrias, cárcere privado e coação no curso do processo.

A Polícia Civil então, por meio da delegada titular da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI/PCSC) de Araranguá, representou pela prisão e pela busca na residência. As medidas foram deferidas pelo Judiciário.

O primeiro inquérito policial foi instaurado em 2021. Em razão das ameaças e coações do investigado, a vítima não confirmava os crimes, dificultando a apuração policial. Em janeiro, a vítima conseguiu fugir e prestou declarações por videoconferência, contando em detalhes as torturas pelas quais passou. Ela mostrou ainda marcas de lesões que ainda apresentava e contou que foi atendida diversas vezes no hospital e na UPA, mas sempre dizia que tinha sofrido quedas ou se lesionado sozinha. Depois de ter fugido, o investigado continuou lhe perseguindo, enviando mensagens com graves ameaças.

De acordo com a apuração, um mês depois, o investigado começou a se relacionar com outra vítima e passou a agir da mesma forma, por ciúmes, trancava a vítima em casa e a torturava, com um taco de beisebol e um facão. Ele a mantinha trancada em casa até que as lesões desaparecessem para que ninguém visse e ela não pudesse denunciar. Também proibia a vítima de mexer no próprio celular. Até que a segunda vítima também fugiu para outra cidade e registrou o fato, dizendo que ele até cortou seus cabelos para demonstrar poder.

O investigado é suspeito ainda de usar uma arma de fogo em algumas oportunidades em que ameaçou uma das vítimas.

WhatsApp Image 2022 05 21 at 16.57.36

 WhatsApp Image 2022 04 19 at 09.57.23

Na manhã desta terça-feira (19), uma operação conjunta entre a Polícia Civil de Santa Catarina e a Polícia Civil do Rio Grande do Sul prendeu um homem de alta periculosidade suspeito de estupros e roubos em série, nos dois Estados.

A ação foi realizada por policiais civis de Araranguá (SC) e de Vacaria (RS), no amanhecer, em uma residência localizada em Balneário Arroio do Silva (SC).

Os mandados judiciais de prisão temporária, busca e apreensão e coleta coercitiva de DNA foram expedidos pela Justiça da Comarca de Araranguá após a representação pela delegada titular da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI/PCSC) de Araranguá contra o homem, de 33 anos.

Ele estava foragido da Justiça, pois já tinha contra si mandado de prisão em aberto pela Vara das Execuções Criminais de Pelotas (RS), com validade até o ano de 2037, por crimes de porte ilegal de arma de fogo, roubo majorado e homicídio qualificado. O preso é natural de Passo Fundo (RS). Foi apreendida uma arma de fogo utilizada pelo homem: uma pistola, calibre 765, com numeração adulterada e 29 munições.

Crimes em Araranguá e Balneário Arroio do Silva

O primeiro fato foi registrado no dia 23/02/2022 (1 vítima); o segundo em 05/03/2022 (1 vítima) e o terceiro caso, ocorrido no final de setembro de 2021 (2 vítimas) não tinha sido registrado até chegar ao conhecimento da DPCAMI/PCSC.

Foram instaurados inquéritos policiais e apurou-se que se tratava do mesmo suspeito, que ainda não estava identificado, pois a forma de agir era idêntica em todos os casos.

O homem fazia contato com garotas de programa por um site de encontros e marcava o encontro em local íntimo, onde estuprava as vítimas com uso de uma arma de fogo, amarrando-as. Após o estupro, roubava pertences pessoais das vítimas e as obrigava a fazer depósitos. Por fim, obrigava que elas ingerissem remédio de uso controlado, dopando-as. Entre as vítimas em SC e no RS, há quatro mulheres trans.

No decorrer das investigações, a DPCAMI/PCSC de Araranguá teve notícia de outras duas vítimas de crimes ocorridos em Araranguá. Porém, elas não registraram o fato, com receio, pois foram ameaçadas pelo investigado.

Durante as investigações, com apoio de policiais civis da DIC/PCSC de Araranguá, policiais civis de Vacaria (RS) entraram em contato com os policiais da DPCAMI/PCSC e informaram que na cidade do RS ocorreram outros 3 crimes, todos com o mesmo modus operandi, tendo uma das vítimas sido espancada com violência.

A investigação em Santa Catarina, presidida pela DPCAMI/PCSC de Araranguá, foi realizada em conjunto com a Polícia Civil de Vacaria (RS) e contou com o apoio da DIC/PCSC de Araranguá e da Diretoria de Inteligência (DIPC/PCSC).

Por se tratar de foragido, desconhecido das vítimas, foi uma investigação complexa e difícil, que teve a autoria descoberta após trabalho de todos os policiais civis, catarinenses e gaúchos.

WhatsApp Image 2022 04 19 at 10.06.16