Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

WhatsApp Image 2022 05 25 at 20.19.48

Nesta quarta-feira (25), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC), deflagrou a operação "Drukken Op", visando o cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão temporária contra uma pessoa suspeita de estar realizando produção, comercialização e distribuição de comprimidos de "ecstasy". As ordens judiciais foram cumpridas nas cidades de Florianópolis, São José e Biguaçu.

Durante as buscas, foram apreendidos prensas mecânicas, maquinário, insumos, princípios ativos e também comprimidos de "ecstasy" já prensados e prontos para a distribuição. Além disso, foram apreendidos também munição de arma de fogo e material indicando esquema montado para o tráfico de drogas.

 WhatsApp Image 2022 05 25 at 20.23.49

eb562324 e4ea 497c 83c4 e7636357eb29

Nesta terça-feira (24), a Polícia Civil de Santa Catarina realizou uma reunião de apresentação do projeto de elaboração da cadeia de valor da Instituição.

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, o objetivo é aumentar a eficácia dos processos. “Com a definição da cadeia de valores, nós vamos conseguir ofertar um serviço de qualidade ainda maior para a sociedade catarinense”, destacou o delegado-geral.

Além disso, a ideia é desburocratizar os processos dentro da Polícia Civil, tornando-os mais ágeis. “Queremos trazer cada vez mais agilidade para o nosso trabalho. Estamos falando do serviço público, que é marcado pela burocracia, e a gente quer dar mais agilidade a isso e, consequentemente, trazer mais valor aos serviços que prestamos para o público”, destacou o gerente de Planejamento e Avaliação da Polícia Civil, delegado de polícia Gustavo Madeira.

A cadeia de valor é uma ferramenta, criada por Michael Porter em 1985, que serve para gerenciar processos. Por meio dela, todas as atividades que a organização faz para gerar valor às suas entregas são reveladas e os elos entre elas são evidenciados. Ao fortalecer as ligações entre essas atividades é possível proporcionar desenvolvimento aos processos da organização, o qual favorece o seu crescimento como um todo.

No âmbito da Polícia Civil, o processo será realizado desde a parte de gestão estratégica da Instituição até a prestação dos serviços nas delegacias de polícia. Para isso, os policiais civis estão sendo entrevistados por uma empresa especializada que está responsável por fazer o mapeamento de todos os processos e a efetiva entrega da cadeia de valor. Participaram do encontro, policiais civis da Delegacia Geral, das Diretorias de Polícia, gerentes e coordenadores.

a5064bc4 3365 4a37 89e5 d9f98fffaf7a

a51aecad ebc8 4cf1 ab74 2d3343863f57

Começa nesta quarta-feira (25) a partir das 13 horas o “II Seminário de Investigação Criminal na Era da Informação” promovido em conjunto pela Associação dos Delegados de Polícia de Santa Catarina (Adepol-SC) e a Polícia Civil de Santa Catarina.

Integração na segurança pública, raciocínio investigativo criminal, criptoativos, investigação criminal tecnológica e novas tecnologias como o plantão digital são alguns dos principais temas que serão abordados. O evento acontece até sexta-feira (27), na Academia da Polícia Civil, em Florianópolis.

Os palestrantes da abertura desta quarta-feira serão o delegado-geral da Polícia Civil de SC, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, o presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, João Henrique Blasi e o sub procurador-geral de Justiça de SC, Fábio de Souza Trajano.

“Migração do crime”

Em sua segunda edição, o evento contará com palestras de grandes referências do segmento de investigação criminal do país, originários dos Estados de Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo. “Esse seminário é fundamental para a compreensão das peculiaridades que a investigação criminal apresenta, especialmente pela migração do crime ao universo digital”, discorre o diretor da Acadepol, delegado de polícia André Bermudez.

Aberto aos servidores da área da segurança pública civil do Estado, Ministério Público de Santa Catarina, Poder Judiciário catarinense, Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina, Procuradoria Geral do Estado de Santa Catarina e Controladoria-Geral do Estado de Santa Catarina, o encontro destacará temas como criptoativos, investigação criminal tecnológica, novas tecnologias e inteligência criminal, entre outras pautas de extrema relevância. O evento tem o apoio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional do Ministério Público de Santa Catarina e da Academia Judicial de Santa Catarina.

“Esse é um momento para trocarmos experiências, a fim de ampliarmos com significância o debate acerca das transformações das investigações criminais, além da promoção de um diálogo importante entre as instituições envolvidas e do aperfeiçoamento de suas atribuições”, ressalta a delegada de polícia Vivian Garcia Selig, presidente da Adepol.

(Com informações da Adepol)

945045fb bff7 4ad4 ab21 189447e4568d

0cbef204 b860 4a43 9ae0 6fda3e10621c

411aea30 b20a 4502 9b65 5de06c4702cf

WhatsApp Image 2022 05 23 at 19.06.18

Nesta segunda-feira (23), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Delegacia de Capturas da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC), prendeu um foragido da Justiça suspeito de matar um policial militar em uma emboscada na cidade de Ananindeua, região metropolitana de Belém, no Estado do Pará, em 2021. A prisão ocorreu em Joinville e contou com o auxílio da Diretoria de Inteligência da PCSC e da Polícia Civil do Pará.

WhatsApp Image 2022 05 23 at 18.06.20

Na tarde desta segunda-feira (23), o delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, recebeu representantes da nova diretoria do Sindicato dos Policiais Civis de Santa Catarina (Sinpol-SC), na Delegacia Geral, em Florianópolis.

Na reunião foram tratados assuntos relativos à Instituição e aos policiais civis do Estado, por exemplo, as novas nomeações de aprovados em concurso público, além da integração com a Delegacia Geral.

Os integrantes do Sinpol-SC fizeram um agradecimento ao delegado-geral pelo chamamento nesta segunda-feira pelo governo do Estado dos aprovados em concurso público. Para a Polícia Civil, o governador Carlos Moisés autorizou a nomeação de 324 agentes de polícia e 113 escrivães já aprovados em concurso.

Além do delegado-geral, participaram da reunião o presidente do Sinpol-SC, Paulo Cesar Fernande de Abreu; a diretora de comunicação do Sinpol-SC, Miriam de Souza Lago; o diretor financeiro do Sinpol-SC, Elmar Schmitt Osório; o diretor jurídico do Sinpol-SC, Fábio Teixeira; e o diretor parlamentar do Sinpol-SC, Flávio Ribeiro.

WhatsApp Image 2022 05 23 at 18.36.08