a51aecad ebc8 4cf1 ab74 2d3343863f57

Começa nesta quarta-feira (25) a partir das 13 horas o “II Seminário de Investigação Criminal na Era da Informação” promovido em conjunto pela Associação dos Delegados de Polícia de Santa Catarina (Adepol-SC) e a Polícia Civil de Santa Catarina.

Integração na segurança pública, raciocínio investigativo criminal, criptoativos, investigação criminal tecnológica e novas tecnologias como o plantão digital são alguns dos principais temas que serão abordados. O evento acontece até sexta-feira (27), na Academia da Polícia Civil, em Florianópolis.

Os palestrantes da abertura desta quarta-feira serão o delegado-geral da Polícia Civil de SC, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, o presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, João Henrique Blasi e o sub procurador-geral de Justiça de SC, Fábio de Souza Trajano.

“Migração do crime”

Em sua segunda edição, o evento contará com palestras de grandes referências do segmento de investigação criminal do país, originários dos Estados de Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo. “Esse seminário é fundamental para a compreensão das peculiaridades que a investigação criminal apresenta, especialmente pela migração do crime ao universo digital”, discorre o diretor da Acadepol, delegado de polícia André Bermudez.

Aberto aos servidores da área da segurança pública civil do Estado, Ministério Público de Santa Catarina, Poder Judiciário catarinense, Defensoria Pública do Estado de Santa Catarina, Procuradoria Geral do Estado de Santa Catarina e Controladoria-Geral do Estado de Santa Catarina, o encontro destacará temas como criptoativos, investigação criminal tecnológica, novas tecnologias e inteligência criminal, entre outras pautas de extrema relevância. O evento tem o apoio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional do Ministério Público de Santa Catarina e da Academia Judicial de Santa Catarina.

“Esse é um momento para trocarmos experiências, a fim de ampliarmos com significância o debate acerca das transformações das investigações criminais, além da promoção de um diálogo importante entre as instituições envolvidas e do aperfeiçoamento de suas atribuições”, ressalta a delegada de polícia Vivian Garcia Selig, presidente da Adepol.

(Com informações da Adepol)

945045fb bff7 4ad4 ab21 189447e4568d

0cbef204 b860 4a43 9ae0 6fda3e10621c

411aea30 b20a 4502 9b65 5de06c4702cf