Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

 WhatsApp Image 2022 03 31 at 17.39.43

Na tarde desta quinta-feira (31), a Polícia Civil, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Itajaí, cumpriu um mandado de busca e apreensão em uma residência no bairro Ressaca, em Itajaí, litoral Norte do Estado, onde havia indícios de produção e distribuição de maconha.

No local foi identificada uma estufa amadora contendo cerca de 60 mudas de pés de maconha em diversos estágios de crescimento. Havia ainda adubos e material para iluminação e ventilação artificial do ambiente.

Um homem de 49 anos foi autuado em flagrante por tráfico de drogas. O preso foi encaminhado ao sistema penitenciário, onde permanece à disposição da Justiça.

WhatsApp Image 2022 03 31 at 17.40.04

WhatsApp Image 2022 03 31 at 17.39.44

WhatsApp Image 2022 03 30 at 18.10.09

Nesta quarta-feira (30), a Polícia Civil de Santa Catarina inaugurou uma Sala Lilás no município de Penha para o atendimento às vítimas de violência doméstica. A delegada-geral adjunta da PCSC, Ester Fernanda Coelho, que representou o Governo do Estado na ocasião, destacou que o espaço é destinado ao acolhimento e ao atendimento especializado a mulheres, crianças, adolescentes e idosos vítimas de violência.

“A Polícia Civil está trabalhando em busca do fortalecimento da rede de apoio às mulheres no Estado e as salas lilás cumprem um papel fundamental nesse sentido, proporcionando acolhimento e discrição no atendimento das mulheres vítimas de violência doméstica”, destacou a delegada-geral adjunta.

A coordenadora das Delegacias de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMIs) em SC, delegada de polícia Patrícia Zimmermann D´Ávila, também esteve presente no evento e agradeceu à parceria da Prefeitura de Penha, que ajudou a promover o espaço, que conta com duas salas, sendo uma de espera e outra para o atendimento das mulheres, e banheiro.

Além de policiais civis e convidados, participaram do evento também o diretor de Polícia do Litoral, delegado de polícia Raphael Giordani e o delegado regional de Polícia de Itajaí, Márcio Colatto.

A Sala Lilás está instalada no prédio da Delegacia de Polícia do Município de Penha, na Rua Luiz José Nori, n. 77, no Centro de Penha.

WhatsApp Image 2022 03 30 at 19.17.42

WhatsApp Image 2022 03 30 at 19.17.44 1

sala lilas

Nesta quarta-feira (30), a Polícia Civil de Santa Catarina inaugurará uma Sala Lilás no município de Penha para o atendimento às vítimas de violência doméstica. O ato de inauguração do espaço, que é destinado ao acolhimento e ao atendimento especializado para mulheres, crianças, adolescentes e idosos vítimas de violência, acontecerá às 15h.

A coordenadora das Delegacias de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMIs) em SC, delegada de polícia Patrícia Zimmermann D´Ávila, agradeceu à parceria da Prefeitura de Penha, que ajudou a promover o espaço, que conta com duas salas, sendo uma de espera e outra para o atendimento das mulheres, e banheiro.

“Essa é a primeira Sala Lilás da Diretoria de Polícia do Litoral da Polícia Civil e vem em um momento que estamos buscando fortalecer os locais de atendimento, proporcionando atenção e acolhimento na apuração de infrações penais. O objetivo é amparar as mulheres em um momento em que elas estão fragilizadas”, destacou a coordenadora das DPCMIs.

A Sala Lilás está instalada no prédio da Delegacia de Polícia do Município de Penha, na Rua Luiz José Nori, n. 77, no Centro de Penha.

WhatsApp Image 2022 03 29 at 19.21.30

6ccd04c6 4697 444a 84dd 7d2c5e1b3e54

01aa83bb 6f20 4e46 8be5 99c7a1281445

logo sala

A Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Itajaí, cumpriu cinco mandados de prisão preventiva pelo crime de homicídio qualificado pelo motivo torpe, pelo emprego de asfixia e pelo emprego de recurso que impossibilite a defesa da vítima, em função da morte de um interno do Complexo Penitenciário do Vale do Itajaí.

No dia 20/07/2020, no começo da manhã, o corpo de um homem de 19 anos foi encontrado morto, pendurado em uma grade com uma corda no pescoço, em situação de aparente suicídio. Iniciadas as investigações, apurou-se que a vítima foi morta em virtude de rixas entre facções criminosas dentro do sistema penitenciário.

Ficou demonstrado que quatro colegas de cela da vítima, integrantes de uma facção rival, a imobilizaram e a asfixiaram no meio da madrugada, enquanto os demais detentos dormiam.

Após a morte, foi feita a simulação de uma cena de suicídio, suspendendo a vítima por uma corda no teto, em aparente enforcamento voluntário. Houve ainda o indiciamento de outro detento, liderança de uma das facções criminosas, identificado como mandante do homicídio.

Os presos se encontram no sistema penitenciário à disposição da Justiça.

74eba2e5 495d 47b3 9877 eddd27a32d3e

Nesta quarta-feira (16), a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC/PCSC) de Itajaí, desencadeou a 2ª fase da operação “Capo”, visando o cumprimento de quatro ordens judiciais decorrentes de investigação do crime de lavagem de capitais. Um mandado de prisão preventiva foi cumprido contra um homem suspeito pela prática do crime, que já havia sido preso na 1ª fase da operação.

Dois mandados de busca e apreensão domiciliar foram cumpridos em Itajaí, nos quais foram apreendidos documentos e aparelhos eletrônicos. Além disso, foi cumprida uma ordem de sequestro de um automóvel de luxo, avaliado em aproximadamente R$ 200 mil, que seria objeto de lavagem de dinheiro.

As diligências contaram com apoio do Núcleo de Operações com Cães (NOC/PCSC) de Itajaí. O inquérito policial deve ser concluído nos próximos dias. O preso está à disposição da Justiça no sistema penitenciário.

1ª fase da operação “Capo”
Na 1ª fase da operação “Capo”, realizada em janeiro deste ano, a Polícia Civil de Santa Catarina, por meio de ação conjunta da Diretoria de Inteligência da Polícia Civil (DIPC) e da Divisão de Investigação Criminal de Itajaí (DIC/PCSC), cumpriu um mandado de prisão preventiva contra o homem alvo do mandado de prisão cumprido nesta quarta-feira (16). Na época, ele foi preso pelo crime de organização criminosa em Curitiba, no Paraná.

O homem é apontado com uma das principais lideranças de facção criminosa com atuação no Estado de Santa Catarina e, à época, foi capturado após meses foragido. As diligências contaram com apoio da Coordenadoria de Operações Especiais (COPE) e da Agência de Inteligência (AI) da Polícia Civil do Paraná (PCPR).