Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

WhatsApp Image 2020 04 08 at 09.36.54 1

A Polícia Civil concluiu o inquérito policial que investigou a morte de um homem suspeito de ser ex-integrante de uma facção criminosa do Rio Grande do Sul ocorrida em Balneário Camboriú, no dia 23 de fevereiro deste ano. Cinco pessoas tiveram mandados de prisão expedidos, dos quais três foram cumpridos e estão presos e duas permanecem foragidas.

Além dos cinco mandados de prisão cumpridos, outras duas pessoas, uma de 18 anos e um adolescente, também tiveram participação no crime, mas contra eles não foi necessária a decretação de medidas cautelares.

O suspeito realizou uma colaboração premiada no Rio Grande do Sul, em 2017. Em razão dessa delação, várias pessoas foram presas, drogas apreendidas e homicídios solucionados. Ele passou a integrar o Provita, o programa de proteção a testemunhas, mas abandonou o programa no início do ano, fixando moradia em Balneário Camboriú, onde foi morto.

A ação foi da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Balneário Camboriú, em conjunto com a Polícia Civil Rio Grande do Sul, e com o apoio do GAECO de Santa Catarina.

deiccargas

A Polícia Civil recuperou uma carga de pneus e prendeu em flagrante uma pessoa por furto qualificado. Foi na sexta-feira (23), em Itajaí.

A ação se deu por meio da Delegacia de Furtos e Roubos de Cargas (DFRC) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC). Após a comunicação de um crime de furto de carga de pneus, policiais civis da DFRC diligenciaram a Itajaí e apuraram que o crime teria sido praticado por um dos funcionários da própria empresa.

As investigações até então realizadas apontaram que o funcionário, valendo da função de confiança, mediante fraude na emissão de notas fiscais, realizava a subtração das cargas e repassava a receptadores, assim como mantinham um depósito onde armazenava parte das cargas e as revendia aos consumidores finais através de plataforma eletrônica.

Ao todo, 420 pneus haviam sido subtraídos, avaliados em aproximadamente R$ 90 mil. Entretanto, foi possível recuperar metade da carga, ou seja, 220 pneus. Os crimes vinham sendo praticados desde o início do ano.

De acordo com o Delegado Osnei Valdir de Oliveira, o funcionário foi autuado em flagrante pela prática do crime de furto qualificado pela fraude e abuso de confiança, e como foi identificada a participação de outras pessoas e outros delitos, as investigações prosseguem para o completo esclarecimento dos fatos e responsabilização dos demais envolvidos.

arma saojose

Está preso um homem suspeito de praticar crimes em salas comerciais no Centro de Florianópolis e em São José. A investigação foi feita pela Polícia Civil e a prisão aconteceu no sábado (24) pela Polícia Militar. Uma arma foi apreendida.

A investigação é da Delegacia de Repressão a Roubos (DRR) da Capital e envolveu também a Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI) e o Núcleo de Inteligência de São José. Com a ação conjunta então foi possível a sua identificação. A Polícia Civil pediu a sua prisão, que foi deferida pela Justiça.

Foram três roubos em salas comerciais: um em São José e dois em Florianópolis, crimes ocorridos entre os dias 16 e 19 de outubro. O estupro foi em uma sala comercial em São José. Segundo a Delegada de Polícia Ana Cláudia Pires, o preso é um homem de 23 anos que se apresentava como supostamente sendo policial civil ou policial militar – mas ele não era policial e a informação era falsa. Em todos os casos alegava a existência da denúncia de drogas no ambiente como um subterfúgio para ter acesso, só que na verdade exigia dinheiro, documento e celulares das vítimas.

Com a troca das informações através do Núcleo de Inteligência de São José, formado por policiais civis, militares e guardas municipais foi possível conseguir imagens e a identificação do suspeito, que foi reconhecido pelas vítimas. Após ser preso, o homem foi encaminhado ao sistema prisional. Ele possui antecedentes por roubo no Rio Grande do Sul, entre os anos de 2016 e outubro de 2019.

WhatsApp Image 2020 10 24 at 23.31.16 1

Prisões e apreensões de drogas foram realizadas pela Polícia Civil em Chapecó, entre a noite de sexta-feira (23) e a tarde de sábado (24). As ações são da Divisão de Investigação Criminal (DIC).

Na tarde de sábado, um homem de 27 anos foi preso com MDMA e LSD, nas proximidades da entrada da cidade, no bairro Marechal Borman.

Na noite de sexta-feira, duas pessoas foram presas em flagrante e um adolescente apreendido por tráfico de drogas. Um homem de 25 anos, uma mulher de 22 e um adolescente de 15 anos foram identificados praticando o tráfico no bairro Líder. O homem foi encontrado na posse de quase um quilo de maconha e cinquenta gramas de cocaína e a mulher e o adolescente foram encontrados transportando meio quilo de maconha em um Gol.

WhatsApp Image 2020 10 23 at 23.59.28

 WhatsApp Image 2020 10 26 at 09.29.32

A 3ª Delegacia de Polícia de Combate à Corrupção (DECOR) foi ativada pela Polícia Civil de Santa Catarina em Joaçaba, no Meio-Oeste catarinense. A resolução que determinou a medida saiu no Diário Oficial do dia 22/10/2020, assinada pelo Delegado Geral da Polícia Civil, Paulo Koerich.

Assim como as demais DECORs criadas no Estado, a 3ª DECOR atuará na investigação de crimes contra o patrimônio da administração pública estadual e municipal, de acordo com a sua área geográfica de atuação. Ela ficará localizada junto à Delegacia Regional de Polícia, em Joaçaba.

As cinco Delegacias de Combate à Corrupção da Polícia Civil foram criadas em 2019 pelo Governo do Estado. Com a ativação da unidade em Joaçaba, todas as cinco DECORs previstas estarão em funcionamento. Elas possuem alcance macrorregional.

São elas:1ª DECOR-Florianópolis; 2ª DECOR-Tubarão; 3ª DECOR-Joaçaba; 4ª DECOR-Blumenau e 5ª DECOR-Chapecó. Há ainda a Coordenadoria Estadual de Combate à Corrupção (CECOR), localizada na Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

A Polícia Civil ainda conta com uma DECOR já existente junto à DEIC, esta com atuação estadual.