Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

WhatsApp Image 2020 06 09 at 15.17.08

O Tribunal do Júri da Comarca de Bom Retiro condenou a 110 anos e oito meses de reclusão um homem de 45 anos acusado pelo crime de triplo homicídio ocorrido em 9 de agosto de 2019, em Alfredo Wagner. O réu foi preso em flagrante por policiais militares em uma ação conjunta com informações e investigação da Polícia Civil, na cidade vizinha de Bom Retiro. O cumprimento da pena será em regime fechado. A sessão de julgamento começou às 8h desta quinta-feira (22) e se estendeu até às 22 horas.

Conforme consta na denúncia, primeiro ele matou a mulher com golpes na região da cabeça. Ela estava em casa, no interior da cidade. Em seguida, e da mesma forma, tirou a vida do filho do casal, de apenas oito anos. Minutos depois de cometer os dois homicídios, o réu assassinou a terceira vítima, um idoso de 67 anos. O corpo dele foi encontrado na estrada que dá acesso à propriedade. O caso está em segredo de Justiça.

Os delitos foram cometidos por motivo fútil, visto que o denunciado era conhecido da família e tinha desavenças com o casal em decorrência de uma dívida. A acusação também atribui as qualificadoras de meio cruel e recurso que dificultou ou impossibilitou a defesa das vítimas. Ainda, por duas vezes o acusado agiu de forma a assegurar a impunidade de outros crimes. Além disso, uma vítima tinha menos de 14 anos e outra mais de 60 anos de idade. Cabe recurso ao Tribunal de Justiça.

(Fonte: Com informações da Assessoria de Imprensa do Tribunal de Justiça de SC)

ascurrars

A Polícia Civil de Santa Catarina deflagrou a Operação “Fake Nudes” que resultou no cumprimento de seis mandados de busca e na prisão de quatro pessoas por extorsão e associação criminosa. Foi na manhã desta sexta-feira (23), em Porto Alegre e Viamão, no Rio Grande do Sul.

A operação foi realizada pela Delegacia de Polícia da Comarca de Ascurra e contou com o apoio operacional do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC) da Polícia Civil do RS.
Ao total foram cumpridos dez mandados judiciais, sendo quatro de prisão preventiva e seis de busca e apreensão domiciliar. Em Porto Alegre, três pessoas foram presas e, em Viamão, uma pessoa. Também foi apreendido um veículo Uno adquirido com o dinheiro de extorsões pelo grupo criminoso.

Os presos foram encaminhados ao DEIC/RS, onde aguardarão a abertura de vagas no sistema penitenciário, ficando à disposição do Judiciário de Ascurra, responsável pela expedição das ordens judiciais.
As investigações duraram dois meses e foram identificadas diversas vítimas em Santa Catarina e em outros Estados. O bando agia sempre da mesma forma, utilizando os mesmos “personagens” e diversas contas bancárias.

Redes sociais

O golpe era praticado pelas redes sociais. Através de um perfil falso, normalmente com a fotografia de uma jovem bonita e atraente, os criminosos adicionavam a vítima e iniciavam o contato. Na sequência, trocavam fotos íntimas por aplicativo. A partir daí, outro golpista entrava em cena, o suposto pai da jovem, alegando que ela é menor de idade e que a vítima estaria praticando pedofilia através da internet. Com base nisso, o suposto pai passava a chantagear e exigir dinheiro das vítimas para que não o denunciasse na delegacia.

Depois, um homem se passando por um suposto policial fazia contato com a vítima – utilizando nomes e fotografias de policiais do RS – exigindo valores em dinheiro para que o “inquérito” não fosse adiante. Em um dos casos, o autor enviou um falso mandado de prisão para a vítima com o objetivo de dar suposta veracidade à situação e extorquir dinheiro.
Alerta

Denúncias sobre esse tipo de crime podem ser feitas ao 181 ou WhatsApp (48) 98844-0011.

casaascurra

WhatsApp Image 2020 04 08 at 09.36.54 1

A Polícia Civil de Santa Catarina participou de uma ação conjunta com as Polícias Civis do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro que resultou na prisão de um foragido gaúcho considerado um dos principais traficantes de drogas do RS. A prisão aconteceu no Rio de Janeiro, na quinta-feira (22).

O homem havia fugido do RS. Ele tinha dois mandados de prisão por tráfico de drogas e teria se escondido em Santa Catarina com o uso de documento falso, transitando entre os Estados. Foi a partir da troca de informação entre as inteligências das Polícias Civis do RS e do RJ que se descobriu que ele fazia o uso do Aeroporto Internacional Hercílio Luz, em Florianópolis, para se deslocar.

Após monitoramento da Diretoria de Inteligência da PCSC, da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC) e da 11ª Delegacia do Aeroporto Hercílio Luz foi possível apontar que estava no Estado do Rio de Janeiro, onde foi preso.

pc giro noite

Está preso o suspeito de ter praticado um latrocínio no dia 18 de outubro, em Palhoça. A prisão aconteceu no final da tarde de quinta-feira (22), na praia da Pinheira, por policiais civis da Divisão de Investigação Criminal (DIC). A Polícia Civil também recuperou um veículo, o fone celular e chaves da vítima.

Após diligências, os agentes da DIC identificaram e localizaram o suspeito no bairro Praia da Pinheira e logo após o surpreenderam na posse do celular pertencente à vítima. O veículo BMW roubado foi encontrado na Guarda do Embaú.

A vítima era natural do Rio Grande do Sul e estava hospedada em uma pousada na Guarda do Embaú. As evidências colhidas ao longo das diligências, que tiveram o apoio da Polícia Militar de Palhoça, possibilitaram a prisão em flagrante. O suspeito prestou depoimento e está no sistema prisional à disposição da Justiça. As investigações continuam.

WhatsApp Image 2020 06 04 at 11.08.45

A Polícia Civil esclareceu mais um homicídio ocorrido no dia 8 de agosto, na Rua Santa Paulina, no Bairro Efapi, em Chapecó. Foi por meio da Divisão de Investigação Criminal (DIC).

O crime teria sido motivado após um roubo ocorrido na residência dos pais do suspeito. O autor confessou o homicídio e responde em liberdade. A vítima tinha 32 anos e era foragida do sistema prisional.

De acordo com as investigações, o suspeito alegou em depoimento que foi surpreendido após o alarme da casa dos seus pais, que fica no mesmo terreno, disparar. Sua irmã foi lhe pedir ajuda e ele então foi até o local atrás do suspeito. Houve perseguição até que os dois se encontraram.

O suspeito então, armado com um revólver, disparou cinco tiros. Na sequência das investigações um amigo da vítima foi ouvido em depoimento e assumiu ter sido o autor do roubo. Ou seja, o suspeito do homicídio acabou matando outra pessoa que não teria sido a autora do roubo na casa dos seus pais. O inquérito policial foi concluído e encaminhado ao Judiciário.