Conecte-se

FacebookTwitterInstagramYoutube

9cba92af 521c 4a8f 943a 546a12cf1b58

Policiais civis participaram da arrecadação de cestas básicas e material de higiene e limpeza, em Joinville. A iniciativa, por meio da 2ª Delegacia Regional de Polícia de Joinville, faz parte da campanha dos 209 anos da Polícia Civil de Santa Catarina.

Foram totalizados cerca de 525 quilos de produtos. As arrecadações e as entregas ocorreram este mês para a Associação de Amigos das Crianças do Lar Abdon Batista. Paralelamente, 12 policiais civis realizaram doação de sangue junto ao Hemosc, em Joinville.

6472466d 10fe 4a0a b60c 86cdddeafcec

4222f884 f236 46a5 a32d c25c0d8ebc27

6f087425 c51a 4a19 bb18 576d724b60dd

 banner2

A Polícia Civil identificou um homem suspeito de divulgar ”fake news” no domingo (25). A investigação é da Delegacia de Polícia do Município de São Ludgero, no Sul do Estado.

Na noite de domingo (25), circularam áudios em aplicativos de mensagens em que referiam que teria ocorrido um homicídio no município de São Ludgero. Com a circulação dos áudios, a Polícia Civil foi acionada para verificar a veracidade das mensagens e foi verificado que se tratava de “fake news”.

A falsa notícia gerou repercussão no município e região. As mensagens divulgadas relatavam que um morador do município teria supostamente agredido duas pessoas com facadas, resultando num homicídio consumado e em outro tentado. Foi registrado um Boletim de Ocorrência sobre os fatos e instaurado procedimento policial para apurar o crime de calúnia. Foram realizadas diligências para identificar a autoria.

Após investigação, na tarde de terça-feira (27), o autor foi identificado e ouvido na Delegacia de Polícia. Ele deverá responder por calúnia. O procedimento policial ainda está em andamento e depois de concluído será enviado ao Judiciário.

Segundo o Delegado de Polícia Eder Matte, as “fake news” podem configurar diversos crimes, entre eles, calúnia, injúria e difamação e quando o crime é cometido ou divulgado nas redes sociais a pena aplica-se em triplo.

WhatsApp Image 2021 07 27 at 17.59.19

A Academia da Polícia Civil (Acadepol/PCSC), localizada em Canasvieiras (norte da Ilha de Santa Catarina), na Capital, começou a desenvolver nesta terça-feira (27) uma iniciativa de separação e coleta seletiva de resíduos sólidos recicláveis.

A ação faz parte do projeto “Acadepol Ambiental” e visa instituir a separação e coleta seletiva de resíduos sólidos recicláveis. Lixeiras identificadas foram espalhadas pela Acadepol. O copo plástico, o papel e embalagens de alimentos podem ser depositadas no reciclável, máscaras e guardanapos vão no lixo convencional, por exemplo.

A prática está dentro do que prevê o Plano de Resíduos Sólidos do Estado de Santa Catarina e a lei federal 12.305/10, de transparência no gerenciamento dos resíduos, além de promover a separação e a correta destinação. A ativação do projeto contou com o apoio da Gerência de Planejamento da Polícia Civil.

WhatsApp Image 2021 07 27 at 17.59.20

8dd5645e c39f 47f9 9ab2 658cacc7f08d

Nesta terça-feira (27), a Delegacia Geral da Polícia Civil realizou uma reunião com representantes do Bairro Ingleses (norte da Ilha de Santa Catarina), em Florianópolis. Foram tratatos assuntos relativos à segurança pública no bairro.

Estiveram presentes representantes do Conselho de Segurança dos Ingleses (Conseg), Maycon Oliveira, e do Conselho Comunitário do Bairro dos Ingleses, Adriane Nopes, além de Daniel Heyse Tavares, chefe de gabinete do deputado estadual Fernando Krelling. Eles foram recebidos pelo Delegado Geral Paulo Koerich e a Diretora de Polícia da Grande Florianópolis, Delegada de Polícia Tatiana Klein.

badf3cab 16e1 4cc7 b5d7 998a847b9983

banner3

Nesta terça-feira (27), a Polícia Civil efetuou a prisão preventiva de um homem por ameaça e descumprimento de medida protetiva, em Orleans, no Sul do Estado. A prisão foi realizada pela Delegacia de Polícia da Comarca de Orleans.

O homem foi indiciado pelos crimes de ameaça (duas vezes) e de descumprimento de medida protetiva (três vezes). Mesmo com a determinação do Poder Judiciário para que não se aproximasse ou mantivesse contato com a ex-mulher, ele se dirigiu três vezes ao local de trabalho da vítima e a ameaçou.

Ações de enfrentamento

Em Orleans, a Polícia Civil firmou parceria com o CREAS, Secretaria de Saúde, Polícia Militar, Legislativo e outros órgãos da Rede de Proteção do Município para o enfrentamento da violência contra a mulher.

Segundo o Delegado de Polícia Fernando Guzzi, as autoridades estão engajadas tanto na repressão das condutas, com a prisão do autor, como na prevenção, com ações que auxiliem a mulher a romper o ciclo de violência e a buscar independência do agressor. O grupo de trabalho ainda visa a implementar ações que trabalhem a conscientização do agressor após ser solto.